Crédito imobiliário registra aumento de 33% no primeiro semestre, segundo Abecip

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Por Danilo Vivan

O valor total de financiamento imobiliário concedido com recursos do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança em Empréstimo) registrou, no primeiro semestre de 2019, um aumento de 33% na comparação com o mesmo período de 2018, totalizando R$ 33,7 bilhões. Os dados são da Associação Brasileira de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

Esses recursos possibilitaram a aquisição e a construção de um total de 129 mil imóveis, um acréscimo de 30,7% em relação ao primeiro semestre de 2018 – quando foram adquiridas ou construídas 98,9 mil unidades.

Em um contexto de aumentos consistentes dos números de unidades lançadas (71% apenas na cidade de São Paulo nos cinco primeiros meses de 2019, segundo o Secovi-SP), aumento das vendas (28% também segundo o Secovi) e de queda do número de distratos (36% no País todo de janeiro a abril, segundo a Abrainc), o setor ensaia uma retomada – afinal, após a venda, o caminho natural é a obtenção de financiamento.

Outro dado que vai nessa direção, segundo a Abecip, é o de que, considerando um período de 12 meses terminados em junho, os preços dos imóveis em 10 das principais capitais brasileiras registram uma pequena alta de 1,7%.

Para o presidente da entidade, Gilberto Duarte de Abreu Filho, há uma retomada do crédito imobiliário em curso. Segundo ele, a partir de agora, o que se espera é um movimento de aceleração.

Para garantir a retomada e fazer frente às necessidades de financiamento, o setor conta, hoje, com R$ 1,3 trilhão em funding, sendo a maior parte (R$ 621 bilhões, ou 49%) de recursos do SBPE (poupança). Outros R$ 425 bilhões provêm de recursos do FGTS. E os R$ 229 bilhões restantes são recursos de fontes e dívida privada – LCIs, CRIs e a recém-criada LIG, Letra Imobiliária Garantida, cujo estoque chega hoje a quase R$ 8 bilhões.

Receba gratuitamente nossas notícias